Mobilidade e planejamento urbano – Painel

Avatar foursummit | October 4, 2019

 

Qual é a relação entre pobreza e urbanismo? Como os espaços urbanos podem ajudar a combater a desigualdade no Brasil? Quais são os maiores cases de sucesso de programas de planejamento urbano no Brasil e na América Latina? Descubra os efeitos da falta de planejamento urbano no quadro social de uma cidade e como podemos combater esse cenário com novos projetos arquitetônicos e espaços públicos relevantes.

 

Espartano da Fonseca é um arquiteto formado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, e doutor pela Ecole D’Architecture de Paris. Foi Diretor de Programas do Departamento de Energia e Meio Ambiente da Universidade de Paris e elaborou o Plano de Regionalização do Estado do Paraná para Habitações Bioclimatizadas. De1 987 a 2000 foi Secretário Municipal de Planejamento e Coordenação Geral do Município de Chapecó, em Santa Catarina. Nesse período, elaborou os Planos Diretores de Reestruturação Urbana e de Transportes de diversos municípios de Santa Catarina e do Paraná. Foi Diretor Técnico CODEP, Secretário Municipal de Urbanismo e Meio-ambiente do Município de São José dos Pinhais. Coordenou, elaborou e desenvolveu Projetos de Arquitetura e Urbanismo para a Execução de Escolas, Creches, Bibliotecas, Centros Comunitários, Clínicas, Centros de Saúde, Ginásios de Esportes, Módulos Policias, Centros Comerciais, Mercados, Centros de Produção Social e Estações de Separação de Lixo Reciclável, além de Parques, áreas de Lazer e Ciclovias. Fundou a Esparta Arquitetura e Urbanismo, especializada em arquitetura bioclimática e sustentabilidade.

 

Frederico é Superintendente da Cultura Artística desde 2011. Anteriormente foi Diretor Executivo do Banco Société Générale, responsável pelas divisões de financiamentos estruturados, mercado de capitais e derivativos. Bacharel em Economia pela Universidade de São Paulo, Frederico também é formado pela Escola de Governo e possui especializações pela Columbia University Graduate School of Business e The London School of Economics and Political Science. Além de responder pela gestão administrativa e de programação da Associação Sociedade de Cultura Artística desde julho de 2011, Lohmann se dedica ao projeto de reconstrução do teatro. Antes de integrar a instituição, ele trabalhou por 17 anos no banco Société Générale, ocupando diversas posições na área de investimentos, inclusive o cargo de diretor geral. Bacharel em Economia pela Universidade de São Paulo, ele é formado pela Escola de Governo e tem especializações pela Columbia University Graduate School of Business e pela London School of Economics and Political Science.

 

Gustavo Maia estudou estudou Design de Publicidade no Instituto Europeu de Design, em Barcelona. Possui MBA em marketing pela FGV e certificado em Administração de Empresas pelo Insper-SP e Criação de Soluções Colaborativas para o Governo pela Universidade de Harvard. Ele é o fundador da Colab, uma rede social para cidadãos reconhecida como o melhor aplicativo urbano do mundo e um dos 5 principais aplicativos de governo e participação da ONU. Possui 150.000 usuários no Brasil e 100 prefeituras como clientes. Ele foi nomeado Empreendedor de Impacto Social pela Endeavor. Representando a Colab em 2014, ele foi nomeado Cidadão Sustentável de São Paulo pela CBN, Catraca Livre e Rede Nossa São Paulo. Em 2016, a Colab lançou o Sem Dengue / Sin Zika, um aplicativo de crowdsourcing que permite aos cidadãos relatar possíveis áreas de reprodução do mosquito Aedes aegypti com fotos e geolocalização de informações a serem enviadas aos respectivos órgãos governamentais.


Comments

This post currently has no responses.

Leave a Reply